Logo

Maranhenses mortos em desabamento de prédio no Rio serão sepultados em Pinheiro

Publicidade Victor Farma e Auto Posto Piedade

Postado Por: Cláudio Mendes
Data da Publicação: 14 de abril de 2019 

Fonte: Redação Com Informações do Portal Icururupu

Posto Guará
Família que morreu em desabamento de prédio no Rio será sepultada no Maranhão (Foto: Reprodução)
PINHEIRO – Pai, mãe e filho devem ser sepultados na cidade de Pinheiro. Dia do velório e enterro está indefinido, já que familiares ainda tentam trazer os corpos para o estado. Parte de uma família que morreu após o desabamento de prédios na Muzema, Zona Oeste do Rio, será sepultada na cidade de Pinheiro, no Maranhão. No entanto, ainda não há uma previsão para o dia do velório e enterro, já que familiares ainda tentam trazer os corpos para o estado.
Os prédios caíram na manhã desta sexta (12) e as causas ainda são investigadas. O menino Hilton Guilherme Sodré Souza, de 12 anos, morreu na manhã deste sábado (13). Ele foi retirado dos escombros com fratura em uma das pernas e ferimentos no rosto. Segundo os Bombeiros, ele estava consciente e foi levado para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu e morreu.
Os pais do garoto, Maria Nazaré Sodré e Hiltonberto Rodrigues Souza, foram retirados já sem vida dos escombros. Os corpos deles, no entanto, só foram reconhecidos por parentes na manhã deste sábado (13). A caçula da família, Isabele, escapou ilesa porque foi retirada do prédio pelo pai instantes antes do prédio vir abaixo.
O pai, a mãe e o menino que morreram eram da cidade de Pinheiro. A família começou a se estabelecer no Rio de Janeiro há cerca de 15 anos, quando Hiltonberto viajou para trabalhar na cidade como lanterneiro. Ao longo dos anos, ele levou a esposa e o filho Hilton para junto dele. Apenas a menina Isabele é nascida no Rio. A busca pelos desaparecidos entrou no segundo dia nesta manhã de sábado (13). Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil trabalham no local, que foi isolado devido ao risco de desabamentos de construções vizinhas às que desabaram.




0 Comentários

Deixe o seu comentário!