Logo
  • PF deflagra operação e apreende R$ 30 mil com grupo acusado de fraudes contra o INSS em São Luís e Pinheiro.

    Victor Farma - Conheça nossa história em nosso Instagram

    Deflagrada na manhã desta terça feira 31/10, a Operação Fake ID pela Polícia Federal, com o apoio da Coordenação de Inteligência da Previdência Social (COINP), para o cumprimento de mandados de busca e apreensão e prisão preventiva nos municípios de São Luís/MA e Pinheiro/MA, com a finalidade de combater grupo criminoso especializado na prática de fraude em detrimento do INSS.

    Segundo as investigações, a fraude consistia na alteração indevida do domicílio bancário de benefícios previdenciários e assistenciais junto ao aplicativo “Meu INSS”, bem como juntada de documentos de identidade falsos, comprovante de endereços falsos, visando ludibriar a autarquia previdenciária e, por conseguinte, sacar os valores depositados nos benefícios violados/fraudados.

    ULTRAGAZ CURURUPU

    ULTRAGAZ CURURUPU

    Levantamentos realizados pelo Núcleo Regional de Inteligência da Previdência Social no Maranhão – NUINT/MA detectou 415 protocolos de alterações de cadastro em benefícios previdenciários entre 10/10/2018 e 16/02/2023.

    De acordo com os cálculos efetuados pela Coordenação de Inteligência da Previdência Social (COINP), o prejuízo estimado com apenas o pagamento de 49 (quarenta e nove) benefícios já identificados, é de R$ 718 mil ao ano. Entretanto esse valor pode ser ainda maior após a análise dos materiais apreendidos.

    O nome da operação é uma expressão inglesa, significando identidade falsa, em referência ao modo de atuação empregado pelo grupo criminoso.

    No total de 32 (trinta e dois) policiais foram mobilizados para o cumprimento de 07 mandados de busca e apreensão e 01 mandado de prisão preventiva, nas cidades de São Luís/MA e Pinheiro.

    A Polícia Federal apreendeu cerca de R$ 30 mil com grupo criminoso acusado de fraudar benefícios do INSS em São Luís e Pinheiro. A apreensão ocorreu no âmbito da operação Fake ID, que cumpriu mandados de busca e prisão preventiva com a finalidade desarticular fraude previdenciária.

    Estácio Pólo Cururupu

    Estácio Pólo Cururupu

    Em razão das condutas, os investigados poderão responder pelos crimes de 171, § 3º, 288, 297 e 298, todos do Código Penal com penas que somadas podem chegar a 20 anos de prisão.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!