Logo

Famílias que tiveram casas alagadas durante Maré de Sizígia recebem assistência da prefeitura

Publicidade Victor Farma e Auto Posto Piedade

Postado Por: Cláudio Mendes
Data da Publicação: 21 de março de 2019.
Fonte: Redação Com Informações do Cururupu Repórter

Famílias atingidas no Bairro Beira do Campo
Várias áreas no município de Cururupu, amanheceram nesta quinta-feira (21), em situação de emergência após a elevação do nível do mar ontem à noite, registrado pelo fenômeno Maré de Sizígia.
A prefeita professora Rosinha mobilizou toda sua equipe de governo para prestar total assistência às famílias atingidas pelas aguas de março que invadiram casas.
Entre os locais mais atingidos estão nos bairros Beira do Campo, áreas próximas ao Jacaré na proximidade do Atracadouro Hidroviário, Ponte no bairro Ceará, Porto São João, Barragem de Maracujatiua e as ilhas do município.
Uma força tarefa da prefeitura de Cururupu, está acompanhando as famílias atingidas e monitorando as áreas. No bairro Beira do Campo, 14 famílias tiveram suas casas invadidas pela maré. 34 adultos, 16 crianças, cinco idosos e dois bebês, estão sendo encaminhados para abrigos da prefeitura para passarem a noite desta quinta e sexta –feira (22), quando a previsão é que o fenômeno ainda se apresente com mais força. Profissionais em saúde e assistência social acompanharão as famílias.
A Secretaria de Saúde realizou pré-atendimentos às pessoas nos locais e acompanhará nos alojamentos.
A Secretaria de obras iniciou uma operação nesta manhã na área da Beira do Campo para amenizar os transtornos causados.
A Secretaria de Assistência Social e Cidadania está encaminhando as famílias para os alojamentos, alimentação e demais cuidados.
Desde as primeiras horas da manhã desta quinta –feira, por determinação da prefeita professora Rosinha que retorna ao município nesta tarde, após compromissos políticos em Brasília, a Secretaria de Meio Ambiente e assessores do gabinete da prefeita acompanham a situação em todo o município.
Cururupuenses foram surpreendidos pelo fenômeno da MARÉ DE SIZÍGIA, na noite de ontem (20), tanto na cidade, e bem mais cedo nas ilhas do município. A maré muito alta cobriu a rampa no Porto São João localizado ao lado da Praça Aquiles Lisboa, subiu calçadas no trecho do porto e invadiu casas próximas ao Atracadouro Hidroviário Flutuante de Cururupu. Estaleiros próximos ao porto, tiveram maquinhas submersas. As ilhas de Cururupu sentiram a força e a beleza do fenômeno, as ilhas de Caçacueira, Lençóis, São Lucas, Peru, Guajerutiua, muitas tiveram ruas completamente cobertas pela maré, casas foram invadidas pelas águas. Moradores mais antigos tanto das ilhas quando na sede afirmaram ao Cururupu Repórter, que foi a maré mais alto dos últimos 40 anos. 
Na ilha de Peru, a elevação do nível do mar passou por cima da barragem, a Ilha de Guajerutiua, teve parte de suas ruas alagadas. Na Ilha de Caçacueira, a população ficou apreensiva, aproximadamente 15 casas foram as mais atingidas. Em Prainha o avanço da maré tomou conta de toda a área invadindo casas. Se registra no momento prejuízos materiais. As atenções se dobram para a noite desta quinta-feira, dia 21, com previsões de marés mais altas, a parti das 18h.
O secretário Gilberto Fonseca, Meio Ambiente, observou em entrevista na rádio local, que o fenômeno natural, já era esperado pela população das ilhas, muitos pescadores já haviam recolhido suas redes ao observa que a água da Amazônia já havia chegado no litoral maranhense, que aconteceria o lançante, as ‘águas de março e tem a de setembro’, só não esperavam que seria com tamanha força. “O Forte volume das chuvas e intensas, tanto no maranhão quando na parte amazônica contribuiu para o desague dos rios amazônicos dando força ao fenômeno”, destacou o secretário.
Em oceanografia, as marés de sizígia são as marés que ocorrem nas luas nova e cheia, quando os efeitos lunares e solares atuando em conjunto, se reforçam uns aos outros, produzindo as maiores marés altas e as menores marés baixas.
A ocorrência da sizígia Terra-Lua-Sol é a causa do fenômeno da variação bimensal da altura da maré, um fenômeno que resulta na ocorrência de marés vivas e marés mortas em função da posição relativa do Sol e da Lua. Na lua nova e na lua cheia, o Sol e a Lua estão em sizígia, pelo que as suas forças de maré se reforçam mutuamente, pelo que a superfície do oceano sobe e desce mais que o normal, resultando em marés com amplitude superior à média («marés vivas» ou «marés de cabeça»).
Ao efeito da variação das fases da Lua junta-se o efeito da translação da Terra, pois durante os equinócios (em março e setembro) as marés altas são maiores e as baixas menores. O periélio, quando o Sol está mais próximo da Terra, também resulta em maior amplitude da maré.

ILha de Peru Cururupu MaranhãoIlha de Caçacueira – Cururupu MaranhãoIlha de Guajerutiua Cururupu Maranhão

Posto Guará



0 Comentários

Deixe o seu comentário!